Tarifa de água e esgoto sobe até 6,28% em 68 municípios de MS

Os consumidores de 68 municípios de Mato Grosso do Sul pagarão mais caro pelos serviços de água e esgoto a partir de 1º de julho de 2014. Conforme portarias da Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos (Agepan) e da Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul (Sanesul) publicadas no Diário Oficial desta sexta-feira (30), a tarifa vai subir até 6,28%.
 
Esse percentual exato vale para Água Clara, Alcinópolis, Amambai, Anastácio, Anaurilândia, Angélica, Antônio João, Aparecida do Taboado, Aquidauana, Aral Moreira, Bataguassu, Batayporã, Bodoquena, Bonito, Brasilândia, Caarapó, Camapuã, Caracol, Chapadão do Sul, Coronel Sapucaia, Corumbá, Coxim, Deodápolis, Dois Irmãos do Buriti, Douradina, Dourados, Eldorado, Fátima do Sul, Figueirão, Guia Lopes da Laguna, Iguatemi, Inocência, Itaporã, Itaquiraí, Ivinhema, Japorã, Jardim, Jateí, Juti, Ladário, Laguna Carapã, Maracaju, Miranda, Mundo Novo, Naviraí, Nioaque, Nova Alvorada do Sul, Nova Andradina, Novo Horizonte do Sul, Paranaíba, Paranhos, Pedro Gomes, Ponta Porã, Porto Murtinho, Rio Brilhante, Rio Negro, Rio Verde de Mato Grosso, Ribas do Rio Pardo, Santa Rita do Pardo, Selvíria, Sete Quedas, Sidrolândia, Sonora, Tacuru, Taquarussu, Terenos e Vicentina.
 
Para Três Lagoas, a 313 quilômetros de Campo Grande, será homologado o índice de 6,15%, de acordo com a publicação.
 
O reajuste não vale para os consumidores de Campo Grande, Jaraguari, Glória de Dourados, Costa Rica, Bandeirantes, Paraíso das Águas, Rochedo, Corguinho, Cassilândia, Bela Vista e São Gabriel do Oeste.
 
Segundo a Sanesul, a conta mínima será cobrada dos usuários com ligações medidas que consumam até a cota básica (10 m³). Para as ligações não dotadas de medidor, o volume de água considerado para efeito de cobrança será igual à cota básica e o valor da conta equivalente à mínima. Além disso, as ligações cadastradas como tarifa social obedecerão aos critérios de classificação.