LETRINHAS BELA-VISTENSES!! – Por Josyel Carvalho.

Sou um apaixonado por vogais, consoantes, alfabeto…palavras! Sejam elas escritas ou faladas ou apenas gritadas em silêncio. Isso mesmo! Um simples olhar bem intencionado é suficiente para o respeito compreensivo a quem disse tudo, a seu modo, do seu jeito. Precisamos estar atentos, sempre, a observar as mensagens silenciosas. E minha paixão por tudo isso – que alguém, claro, com certeza dirá se tratar de ‘viagens na maionese’ -, é o que me faz amar e admirar ainda mais aqueles que me apresentaram a esse fantástico mundo das Palavras; esses seres sagrados, que em milhões de casos deveriam até ser canonizados; seres que me ensinaram a juntar essas letrinhas da melhor forma, para que elas ficassem felizes. E hoje, vivo fazendo o que gosto! Vivo a tentar fazer essas letrinhas felizes, da maneira que posso, que é possível e do jeito que esses seres divinos me ensinaram!! Quem sabe um dia não me torno um legítimo animador de letrinhas!!!

 

E nos últimos dias, pensando nos problemas que Bela Vista vem enfrentando na matéria sobre reconhecimento educacional, minha cabeça se transformou num turbilhão, num liquidificador de indignação, lembranças e palavras. Veio-me em mente a maior de minhas educadoras: minha saudosa mãe e Professora Everiana, habitante incondicional e eterna do meu coração; e nesse mesmo raciocínio, habitavam ainda as professoras Antonieta Tibicherane, Elizethe, Altamira, Neusa, Emilce, e várias outras que infelizmente neste momento escapam a memória do meu teclado. Elas formaram, e algumas ainda formam, gerações de sonhos, futuro, caminhos, humanos…mas são tratadas com tamanha desumanidade.

 

Triste como qualquer bela-vistense, como cidadão, como ex-aluno, como filho, irmão, primo e amigo de professoras, me pus a analisar palavras; e assim, apresentaram-se a mim as palavras educação, escola, alunos, discentes e docentes e a indecente ignorância. Ignorância de quem a tudo ignora. E cheguei a uma conclusão: como é lindo o verbo Educar; e conjuga-lo deveria ser um dever moral e parte integrante do vocabulário de quem ousar pronunciar a palavra PROFESSOR: Isso mesmo! E Oxalá que em um futuro não muito distante, possamos conjugar o verbo Educar em outros tempos verbais, bem mais justos e felizes. E que esqueçamos a conjunção do…EU educo, TU educas, ELE se omite, NÓS educamos, VÓS Educais e ELES, cada qual a seu modo, demonstram o grau de formação que tiveram!

 

Realmente, para este humilde jornalista bela-vistense, muito mais bela-vistense que jornalista, está provado, comprovado e evidenciado que Educação é tudo. E isso fica mais explicito quando percebemos o quanto ela faltou a quem a ela deveria ovacionar! Porém, a luta está ai e tem que ser constante; e que as armas continuem sendo apenas palavras, conhecimento, inteligência e debates e discussões somente de idéias e ideais. No entanto, chego ao fim deste texto, depois de tantas letrinhas juntadas com carinho, buscando as melhores formações, com a certeza de que o grande problema desses seres chamados PROFESSORES não está nas palavras o na língua portuguesa, está sim na MATEMÁTICA, onde infelizmente, suas contas nunca baterão com as canetas e com os carimbos oficiais, afinal a vossa matemática não é a mesma dos bastidores e dos gabinetes!!! – Josyel Carvalho.

 

(PUBLICADO ORIGINALMENTE EM 01 DE AGOSTO DE 2011, E RESSUSCITADO HJ EM HOMENAGEM AS LETRINHAS QUE ME AJUDAM A ENFRENTAR A DOR E ME DÃO NOVAS POSSIBILIDADES DE EXTRAVASAR MINHA FERIDA!!) 

Posts Relacionados

Facebook Comments