Indústria tem saldo positivo na geração de emprego em 41 municípios de MS

O setor industrial de Mato Grosso do Sul, composto pelas indústrias de transformação, de extrativismo mineral, de construção civil e de serviços de utilidade pública, obteve, no período de janeiro a abril deste ano, saldo positivo na contratação de trabalhadores em 41 municípios do Estado, proporcionando a abertura de 3.409 vagas, conforme levantamento do Radar Industrial da Fiems. Entre as cidades com saldos positivos de pelo menos 150 vagas, destacam-se Nova Andradina (+632), Campo Grande (+411), Angélica (+361), Rio Brilhante (+245), Aparecida do Taboado (+232), Fátima do Sul (+193), Maracaju (+178) e Vicentina (+159).

Segundo o coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems, Ezequiel Resende, por outro lado, no mesmo período, em 28 municípios do Estado as atividades industriais registraram saldos negativos de contratação no período indicado, proporcionando a fechamento de 2.231 vagas, com destaque para Três Lagoas (-1.603) e Iguatemi (-227). “As demissões ocorridas aconteceram, em sua maior parte, em duas atividades da indústria da construção: obras de engenharia civil não especificadas anteriormente e montagem de instalações industriais e de estruturas metálicas. Somadas, essas duas atividades totalizaram o fechamento de 1.556 vagas”, explicou.

Ele acrescenta que tais demissões ocorreram basicamente no município de Três Lagoas, onde as duas atividades mencionadas foram responsáveis por 1.832 demissões. “O fator de maior peso no desempenho observado para o município de Três Lagoas decorre, possivelmente, do encerramento de atividades ligadas à construção da Fábrica de Nitrogenados da Petrobras, uma vez que primeira etapa da obra já está próxima do fim com o início da operação da planta em seu primeiro módulo previsto para os meses de setembro ou outubro deste ano. Excluindo-se essas duas atividades, o saldo em Três Lagoas seria positivo em 229 vagas, com destaque para a fabricação de celulose e papel e de artefatos têxteis”, detalhou.

Atividades em destaque

Em Mato Grosso do Sul, ainda conforme o Radar Industrial, no período de janeiro a abril, 111 atividades industriais apresentaram saldos positivos de contratação, proporcionando a abertura de 4.184 vagas. Entre as atividades industriais com saldos positivos de pelo menos 100 vagas destacaram-se a fabricação de açúcar em bruto (+819), fabricação de álcool (+574), construção de rodovias e ferrovias (+321), abates de suínos, aves e outros pequenos animais (+236), fabricação de celulose e outras pastas para a fabricação de papel (+198), construção de edifícios (+139), fabricação de artefatos para pesca e esporte (+130) e fabricação de artefatos têxteis para uso doméstico (+118). Por outro lado, no mesmo período, 96 atividades industriais apresentaram saldos negativos em Mato Grosso do Sul, proporcionando o fechamento de 3.006 vagas. Entre as atividades industriais com saldos negativos de pelo menos 100 vagas destacaram-se obras de engenharia civil não especificadas anteriormente (-1.416), obras para geração e distribuição de energia elétrica e para telecomunicações (-207) e montagem de instalações industriais e de estruturas metálicas (-140).

Ezequiel Resende reforça que no período de janeiro a abril a indústria foi responsável pela abertura de 1.178 novos postos de trabalho em Mato Grosso do Sul. O saldo obtido nos quatro primeiros meses do ano fez com que o total de indivíduos empregados nas atividades industriais desenvolvidas no Estado alcançasse o equivalente a 144.375 trabalhadores. “A indústria responde atualmente pelo 2º maior contingente de trabalhadores formais empregados no Estado, com participação de 22,3% sobre o total. Atrás somente do setor de serviços, que emprega formalmente 188.847 trabalhadores com participação equivalente a 29,2%”, informou.