Dia dos Namorados deve injetar R$ 198,5 milhões no comércio de MS

O comércio de MS irá receber R$ 198,5 milhões referentes ao período do Dia dos Namorados, indicando ser a terceira melhor data festiva do ano, ficando atrás do Natal e do Dia das Mães.

“80% da população devem ir às compras, gerando um movimento maior do que o registrado no ano passado, quando a pesquisa registrou o aporte de R$ 176,8 milhões de reais nesse mesmo período”, conta o presidente da Fecomércio MS, Edison Araújo.

Este é o quarto ano de realização da pesquisa no Estado. Foram ouvidas duas mil pessoas entre os dias 14 e 23 de maio em 13 cidades de MS (Aparecida do Taboado, Aquidauana, Anastácio, Chapadão do Sul, Campo Grande, Corumbá, Dourados, Ladário, Naviraí, Paranaíba, Ponta Porã, São Gabriel do Oeste e Três Lagoas).

Ainda de acordo com a pesquisa, o gasto médio, por presente, será de R$ 159,00. Valor superior ao  de 2013, quando o valor médio foi de R$ 114,00.  A pesquisa apontou também que 74% dos entrevistados querem comprar mais de um presente.

Tipos de presentes 

Os entrevistados foram convidados a indicar o que querem comprar e o que desejam ganhar de presente nesta data. Entre os principais presentes citados estão os considerados úteis e de uso pessoal.  Os namorados deverão dar roupas (11%), perfumes (11%), flores (11%), calçados (9%) e chocolates (7%), presentes típicos desta data. Sobre o que gostariam de ganhar, a preferência recaiu sobre roupas (11%), perfume (11%), relógio (8%), flores (8%), calçados (7%) e jóias (5%), entre as suas principais escolhas.

Forma de Pagamento e decisão de compra 

Cerca de 60% dos entrevistados afirmaram que vão pagar à vista, usando dinheiro, cartão de débito ou crédito. Entre os 40% que desejam pagar suas compras a prazo, a forma utilizada é a do cartão de crédito (21%), carnês da loja (9%), boletos bancários (9%) ou cheque pré-datado (1,5%). 29% afirmam que vão pagar em duas vezes e 37% em três parcelas. O cheque pré-datado é a escolha de apenas 1,5% dos consumidores. “É uma tendência que se manifesta há várias pesquisa.  Para o empresário é uma oportunidade de diminuir o risco de inadimplência”, afirma a superintendente do IPF MS, Regiane Dedé.

Para o coordenador de pesquisa José Francisco dos Reis Neto, “a decisão de compra está associada, para 22% dos entrevistados, ao desconto proporcionado pelo lojista ao pagamento à vista; outros 16% para a marca do produto e a promoção será decisiva para 15% dos entrevistados”.

Local preferido para as compras

 Em todas as 13 cidades pesquisadas, as lojas do centro são indicadas pela maioria dos consumidores. Em Campo Grande, elas são lembradas por 47% dos consumidores. Na sequência, são citadas as lojas localizadas no Shopping Campo Grande (22%), Shopping Norte Sul Plaza (14%), Shopping Bosque dos Ipês (6%), ou as lojas virtuais na Internet (3%).

Em Dourados, as lojas dos centros foram lembradas por 48% dos entrevistados e por 32% as lojas do Shopping Avenida Center. Outros 6% afirmam que vão comprar pela Internet. Para estes dois grandes centros comerciais do estado, as variações na escolha do local para as compras permanecem semelhante ao do ano anterior.

Em Corumbá e Ladário a preferência é pelas lojas do centro (51%), seguida das lojas na Bolívia (24%) e compras pela Internet (8%).

Em Ponta Porã, os consumidores escolhem as lojas do centro (51%), as lojas no Paraguai (26%) ou a Internet (7%).

Os compradores das demais cidades pesquisadas escolhem as lojas do centro (84%), as lojas no Bairro (7%) ou a Internet (6%).

Onde comemorar o Dia dos Namorados – Os namorados de Mato Grosso do Sul vão preferir comemorar o dia em casa. Quase 39% indicaram que vão ficar na própria residência, 16% em restaurante, 11% em bares ou boates, 10% em motéis, 7% em cinema ou na casa dos pais, parentes e amigos (11%), possivelmente com um jantar ou algo parecido.

“Esse indicador mostra que a rede de supermercados, lojas de bebidas e de doces vão receber parte desses recursos”, afirma Regiane Dedé. A pesquisa mostra que o índice daqueles que vão viajar é baixo: 1,9% afirmaram que viajarão dentro do próprio Estado e outros 1,7% para fora do estado.