São Gabriel: Dezenas procuram polícia após pagarem por falsos cursos

Cerca de vinte pessoas já procuraram a Delegacia de Polícia de São Gabriel do Oeste até o início da tarde desta terça-feira (11), para registrar um Boletim de Ocorrência (BO), relatando terem sido vítimas de Estelionato, ao caírem em um golpe depois de terem se inscrito em falsos cursos profissionalizantes que estavam sendo anunciados no município no mês de janeiro.

 

 

 

Segundo informações da Polícia Civil de São Gabriel, as ocorrências de estelionato estão sendo registradas todas tendo como suspeita do crime Rúbia Nei Vilela, de 48 anos, da cidade de Uberlândia (MG), apontada pelas vítimas como sendo a responsável pela divulgação do curso no município, além de sua secretária conhecida apenas por “Keli”, que segundo as vítimas é quem arrecadava o dinheiro das inscrições e apostilas dos cursos.

 

 

 

Ainda de acordo com a polícia, Rúbia já havia sido qualificada pelos policiais antes mesmo de haver algum registro dos candidatos contra os cursos, onde a mesma foi orientada, ficando ciente que se caso tais cursos se tratassem de um golpe, a mesma seria responsabilizada. A qualificação da suposta autora se deu depois que o responsável por uma escola do município procurou a Delegacia de Polícia para registrar uma ocorrência de “Preservação de Direito”, relatando que ele não tinha conhecimento algum sobre a realização dos cursos em sua escola, o que segundo ele, estava sendo anunciado no município.

 

 

 

Golpe

 

 

 

Com base nos depoimentos das vítimas, colhidos pela polícia durante os registros dos boletins de ocorrência, os cursos profissionalizantes que estavam sendo anunciados no município no mês de janeiro deste ano, seriam promovidos pela “Sinaep Cursos e Treinamentos” da cidade de Uberlândia (MG), que oferecia várias opções de curso como: Auxiliar administrativo e financeiro com secretariado; Hardware – Montagem e manutenção de computadores; Instalações elétricas; Atendente de farmácia e consultório; Informática vip – Básica e avançada; Cabeleireiros; Manicure e pedicure e Mecânica de motos.

 

 

 

Ainda segundo informações, os cursos estavam previstos para iniciar no dia 1° de fevereiro, com a duração de três meses, sendo que as aulas seriam ministradas aos sábados no Salão Paroquial Nossa Senhora Aparecida, no bairro Jardim Gramado, local onde os interessados também faziam suas inscrições.

 

 

 

Para se inscrever no curso, os candidatos tiveram que efetuar o pagamento de duas taxas, sendo uma de R$ 29,90 que seria pela inscrição do curso e outra de R$ 99,90, que seria o valor das apostilas, as quais chegaram a ser distribuídas aos alunos no dia 21 de janeiro, porém na data prevista de início das aulas os candidatos não encontraram nenhum dos responsáveis pela divulgação dos cursos no local onde os mesmos seriam realizados , não tendo também nenhuma informação a respeito do cancelamento das aulas.

 

 

 

Depoimento

 

 

 

Uma das vítimas do golpe, o mecânico montador Elvis Pereira de Freitas, de 28 anos, informou a nossa reportagem que ficou sabendo do curso através de panfletos que estavam sendo entregues na rua, onde ele teria se interessado pelo curso de informática, o qual segundo ele, serviria para aprimorar seus conhecimentos em seu trabalho.

 

 

 

Elvis conta que procurou o salão paroquial do bairro Jardim Gramado, onde fez sua inscrição no curso e efetuou o pagamento das taxas para a secretária conhecida por Keli, a qual lhe deu os comprovantes de pagamento e a apostila, que ele recebeu no dia 21 de janeiro.

 

 

 

Segundo o mecânico, procurou a Delegacia de Polícia para registrar a ocorrência dos falsos cursos, ainda antes da data prevista de início, pois segundo ele, algumas pessoas já estavam comentando sobre o possível calote, foi quando ele procurou a polícia para registrar o BO temendo que os responsáveis pudessem utilizar de seus dados pessoais (CPF, RG), os quais foram exigidos durante a matrícula, para cometer algum crime ou compras em seu nome.

 

 

 

Elvis conta que até o momento não teve nenhuma explicação sobre o que realmente possa ter acontecido, e que ele não conseguiu o contato de nenhuma das mulheres que estavam na organização dos cursos, apenas que estava sendo anunciado que as aulas teriam nova data de início, que seria no último sábado (08), data em que todos os alunos foram até o salão paroquial, porém mais uma vez não encontraram nada no local.

 

 

 

A vítima se diz indignado com o responsável pelo Salão Paroquial Nossa Senhora Aparecida, o qual segundo ele, teria alugado o salão para que o curso fosse realizado lá, que o mesmo não esteve no local para dar explicação aos alunos presentes, sobre o porquê os cursos não estavam sendo realizados.

 

 

 

Elvis diz que espera que o caso seja resolvido em breve e que não venha futuramente prejudicar nenhuma das vítimas, que forneceram seus dados pessoais às autoras.

 

 

 

Atendimento as vítimas

 

 

 

A Delegacia de Polícia de São Gabriel do Oeste, que continua a investigação sobre o caso, informou que está disponível para o atendimento de todas as vítimas, que desejam registrar o Boletim de Ocorrências (BO) do Estelionato. A estimativa é que cerca de 50 pessoas tenham caído no golpe.

 

 

 

O atendimento ao público na Delegacia de Polícia funciona das 08 às 12 horas na parte da manhã e das 14 às 18 horas no período da tarde. (fonte: idest.com.br)

Mais fotos