Restauração do Palácio Gustavo Capanema, no Rio de Janeiro (RJ), chega à última etapa

Restauração do Palácio Gustavo Capanema, no Rio de Janeiro (RJ), chega à última etapa

A próxima quinta-feira, dia 14 de fevereiro, será a data do início de mais uma etapa de obras no edifício que é símbolo do modernismo no Brasil, o Palácio Gustavo Capanema, no Centro do Rio de Janeiro (RJ). Essa será a última parte de uma série de intervenções promovidas no prédio pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), garantindo sua completa restauração e a valorização de sua importância enquanto ícone arquitetônico.

Nessa etapa de obras serão realizadas ações de restauração, conservação e modernização das instalações do prédio, adequando toda a parte interna de seus 16 pavimentos, por meio de investimentos de R$ 57,8 milhões, advindos do PAC Cidades Históricas. A assinatura da ordem de serviço para início da intervenção será dada em solenidade com a presença da presidente do Iphan, Kátia Bogéa; do diretor do Departamento de Projetos Especiais do Iphan, Robson de Almeida; da superintendente do Iphan no Rio de Janeiro, Mônica da Costa, entre outras autoridades.

Em setembro do ano passado, o Iphan entregou a restauração completa das fachadas do edifício, considerada uma etapa fundamental da obra, já que esta é uma das principais características que marcaram a série de inovações modernistas aplicadas no Palácio Gustavo Capanema. As intervenções foram iniciadas em 2014 e já receberam investimentos de R$ 42 milhões, com ações que incluíram também a restauração dos revestimentos de pedra dos pilotis, modernização dos elevadores, impermeabilização do terraço-jardim e da cobertura do bloco de auditórios, substituição das esquadrias nobres, entre outros. Agora, serão realizadas a modernização dos espaços internos, englobando toda parte de infraestrutura, além da implantação de sistema de detecção e combate a incêndio, sistemas de ar condicionado, modernização dos auditórios, conservação dos jardins do térreo, restauração de todo o mobiliário de madeira e dos painéis de azulejos de Portinari, sendo estes uma outra marca inquestionável do edifício. A previsão é de que as obras sejam concluídas em 30 meses.

Obras de importantes artistas brasileiros estão nas dependências do Palácio Gustavo Capanema, tombado pelo Iphan, em 1948.

Símbolo da arquitetura moderna
O Palácio Gustavo Capanema foi inaugurado em 1946, como sede do então Ministério da Educação e Saúde do Governo Vargas. Para sua concepção e realização, alguns dos grandes mestres da arquitetura e das artes dos anos de 1930 estiveram reunidos, como Lucio Costa, Oscar Niemeyer, Affonso Eduardo Reidy, Carlos Leão, Ernany de Vasconcelos e Jorge Machado Moreira, com a consultoria do francês Le Corbusier. O time ficou completo com a equipe responsável pelas artes integradas, que incluiu Roberto Burle Marx, Cândido Portinari, Bruno Giorgi, Adriana Janacópulus, Celso Antônio e Jacques Lipchitz. O edifício reuniu pela primeira vez alguns das características fundadoras da arquitetura moderna, com o uso de pilotis, planta livre, terraço-jardim, fachada livre e janela em fita.

Patrimônio Cultural Brasileiro, o edifício receberá, em 2020, o 27º Congresso Mundial de Arquitetos. Promovido pelo Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), representação brasileira da União Internacional de Arquitetos (UIA), o encontro acontecerá pela primeira vez no Brasil e volta à América Latina após 42 anos, com a expectativa de receber mais de 15 mil arquitetos de todo o mundo. Mesmo ainda em obras, o Palácio Gustavo Capanema será um dos espaços para a realização de eventos, workshops, exposições e palestras que irão integrar a programação do evento durante todo o ano, destacando-o assim, como exemplar notável da história da arquitetura.

Serviço:
Assinatura da ordem de serviço para início da etapa final da obra de Restauração do Palácio Gustavo Capanema
Data: 14 de fevereiro, 14h30
Local: Rua da Imprensa, nº 16, Centro – Rio de Janeiro/RJ

Fonte – portal.iphan

Posts Relacionados

Facebook Comments