Por redução em conta, Tesouro aporta R$ 800 mi

O Tesouro Nacional repassou neste mês R$ 800 milhões para a CDE (Conta de Desenvolvimento Energético) por meio da emissão de títulos de dívida pública.

Os recursos da CDE estão sendo usados para financiar a redução das tarifas de energia neste ano, cobrindo a indenização de empresas do setor e também o custo mais alto da geração de eletricidade pelas usinas térmicas por causa da seca no primeiro semestre.

Antes, o gasto com térmicas costumava ser repassado para as tarifas. A portaria que autoriza o novo repasse foi publicada hoje com data de 1º de agosto.

Em julho, o Tesouro já havia repassado R$ 518 milhões para a CDE. Os valores estão acima do que havia anunciado o ministro da Fazenda, Guido Mantega.

Há duas semanas, quando o ministro anunciou que deixaria de usar recursos de Itaipu para financiar a CDE, ele disse que o primeiro repasse seria de cerca de R$ 400 milhões.

Até agora, a Fazenda não apresentou uma projeção de qual deve ser o total repassado no ano. O governo diz que isso não é possível porque os valores vão variar mês a mês.

A ideia inicial era nutrir a CDE com recebíveis de Itaipu (recursos que o governo tem a receber pela construção da Usina em pareceria com o Paraguai), mas a antecipação de receita foi alvo de críticas do mercado. Sem esses recursos, os repasses terão impacto nas despesas primárias, sendo mais um fator que dificulta a meta do setor público de economizar 2,3% do PIB neste ano.

O saldo da CDE, que fechou 2012 em R$ 2,475 bilhões, terminou junho deste ano em R$ 371,24 milhões.