Policial Civil de Bela Vista divulgou Nota Oficia Duplo Homicídio em Bela Vista.

NOTA À IMPRENSA

 

Em 09 de fevereiro de 2014, por volta das 05h10, F.E.L., P.F.S.I. e J. V. foram atingidos por disparos de arma de fogo, calibre 9mm, enquanto estavam no lado de fora do Bar Emporio Acustic, no Bairro Costa e Silva, onde ocorria o Baile do Havai.

Durante as investigações apurou-se que o autor foi em direção à J.V., que estava sentado com amigos em uma caminhonete na rua, e efetuou disparos de arma de fogo dizendo que “era para aprender a não mexer com a mulher dos outros”, tendo atingido o braço e a nuca de J.V., o qual fugiu para dentro do Bar para pedir ajuda e atualmente encontra-se internado na Santa Casa, em Campo Grande/MS.

O autor efetuou disparos nas pessoas que estavam próximas, atingindo o adolescente P.F.S.I., ,o qual ainda foi socorrido por uma técnica em enfermagem que estava próximo e foi levado ao hospital, porém não resistiu aos ferimentos e faleceu.

Apurou-se que F.E.L. trabalhava no estacionamento da festa e foi atingido por um tiro na região do pescoço ao tentar conter o autor dos disparos que perseguia J.V., e F.E.L. faleceu no local. A vítima M.L. foi ameaçada de morte pelo autor, o qual apontou a arma de fogo em seu peito dizendo para este não tentar impedi-lo de entrar no Bar.

O autor evadiu-se do local em um veículo de cor escura.

A Polícia Militar prontamente compareceu ao local, fez o isolamento e localizou o suspeito, levando-o para a Delegacia de Polícia, onde este não foi inicialmente reconhecido pelas testemunhas como o autor dos disparos.

Uma equipe da Polícia Civil de Bela Vista dirigiu-se ao local, coletou provas, realizou a perícia no Bar, no estacionamento e na rua ao lado, bem como identificou testemunhas presenciais.

Foram realizadas inúmeras diligências para identificação do autor, de possíveis comparsas, de um veículo que supostamente teria ajudado na fuga, de outros suspeitos, dentre as quais se destacam verificação de imagens de câmeras, reconhecimentos de pessoas por diversas testemunhas, consultas a todos os sistemas policiais.

A investigação continua em andamento, porém para assegurar a integridade física do suspeito e de testemunhas, bem como para garantir o êxito das investigações, foi decretada a prisão temporária do suspeito por tempo determinado.

Em 13/02/2014, com o apoio da Delegacia Regional de Polícia de Jardim/MS, foi efetuada a prisão do principal suspeito.

Esclarece-se que restou comprovado que não foram efetuados disparos no interior do Bar Emporio Acustic e que a prisão ocorrida não encerra o Inquérito Policial, tendo sida feita para fins de investigação.

 

A Polícia Civil informa à população que está cumprindo seu dever de apuração dos crimes de acordo com os preceitos legais, porém, conforme prevê a Constituição Federal, a segurança pública é dever de todos, necessitando da colaboração da população, em especial das pessoas presentes no evento e que visualizaram o autor dos disparos. Por fim, informa-se que a identidade das testemunhas será preservada.