Polícia Civil prende acusados de atentado contra Dirceu Bettoni

Polícia Civil prende acusados de atentado contra Dirceu Bettoni

Casal campo-grandense receberia R$ 20 mil pela execução do prefeito, mas como o crime não foi consumado, mandante pagou apenas R$ 5 mil.

Vilson Nascimento

Após três dias de investigação e diligências ininterruptas, a Polícia Civil identificou e prendeu na noite desse sábado, 16 de junho, um casal acusado da tentativa de assassinato contra o prefeito de Paranhos, crime ocorrido no final da tarde da quinta-feira, dia 14 de junho, na cidade da fronteira com o Paraguai.

Dirceu Bettoni foi alvejado com pelo menos quatro disparos, um na mão, um no abdome, um no ombro esquerdo e outro na altura do maxilar, quando chegava em casa com sua caminhonete.

Depois de receber os primeiros socorros no Hospital Municipal local, ele passou por avaliação médica em uma unidade de saúde em Amambai e foi transferido para o Hospital do Coração, em Dourados, onde foi submetido a intervenções cirúrgicas e segue internado se recuperando dos ferimentos.

Os autores

O casal apontado pela Polícia Civil como o autor do atentado contra a vida do prefeito, Gabriel Queiroz, de 26 anos, segundo a polícia já com várias passagens, inclusive por assalto a mão armada e Djuly Priscilla Couto, de 28 anos, foi preso na Rodovia BR-163, região de Rio Brilhante, quando retornava para Campo Grande, onde reside, abordo do mesmo carro, um Gol cor azul, placas de Campo Grande-MS, segundo a polícia, utilizado em apoio ao ato criminoso.

Segundo o delegado que comanda as investigações do caso, Dr. Mikaill Alessandro Gouveia Faria, que é delegado titular em Amambai, a equipe de investigação, que contou com policiais do SIG (Setor de Investigação Geral), de Amambai, das delegacias de Paranhos, Tacuru e Sete Quedas, além de policiais do  GARRAS (Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos) com sede na capital do Estado, chegou até o casal após localizar a moto usada por Gabriel Queiroz para armar a emboscada contra o prefeito, uma Star cor preta, que seria de origem estrangeira.

De posse da moto os policiais chegaram até a pessoa que vendeu o veículo ao casal e consequentemente as investigações evoluíram e chegaram à identificação dos campo-grandenses.

Segundo a Polícia Civil, foi Djuly Priscilla quem comprou a motocicleta e deu cobertura ao marido para a execução do crime.

De acordo com o delegado encarregado das investigações, após efetuar os disparos contra Bettoni, Gabriel abandonou a moto em determinado ponto da cidade, foi para um bar e pediu uma bebida, supostamente com o objetivo de criar álibi em sua defesa caso viesse a ser descoberto.

Tempos mais tarde Djuly, conduzindo o Gol azul, passou no bar, pegou Gabriel e o casal se deslocou para a cidade de Tacuru, onde passou a noite em um hotel daquela cidade.

Na sexta-feira (15) o casal seguiu para a cidade de Mundo Novo e em ato contínuo seguiu até a cidade paraguaia de Salto Del Guairá para receber do contratante, um brasileiro que reside naquele país, os R$ 20 mil combinados para a execução do crime, mas, segundo a polícia, como o acordo não saiu como o mandante pretendia, ou seja, o prefeito permaneceu vivo, o casal acabou recebendo apenas R$ 5 mil.

Depois de preso o casal foi conduzido para a Delegacia de Polícia Civil de Paranhos e, segundo a polícia, como o trabalho policial na apuração do crime foi continuado, Gabriel e Djuly Priscilla foram autuados em flagrante por homicídio na forma tentada e encaminhado para a cadeia pública de Sete Quedas, sede da Comarca.

Eles aguardarão pela audiência de custódia, que deverá ocorrer neste início de semana. No ato o juiz vai decidir se converte o flagrante em prisão preventiva ou libera o casal para responder ao processo em liberdade, como determina a lei.

De acordo com a Polícia Civil, ao ser preso o casal teria relatado que se desfez da arma do crime, que seria um revólver calibre 38, logo após a tentativa de assassinato.

A polícia continua trabalhando no caso com o objetivo de encontrar a arma e apurar se a versão do casal em relação à motivação para a tentativa de assassinato é real.

Fonte: A Gazeta News

Posts Relacionados

Facebook Comments