NEY MATOGROSSO (DO SUL)

Jovem, promissora e no auge dos seus 33 anos, há exatas sete décadas, a Princesa do Apa paria o seu filho mais ilustre, famoso e hoje considerado um dos melhores e principais cantores brasileiros: Ney Matogrosso. Até hoje ele carrega em seu nome páginas de uma história e de um tempo que também já fomos. Deveria ser obrigatório todo bela-vistense se orgulhar de um conterrâneo como ele. 

Entretanto, como orgulho não se impõe, mas se conquista, talvez pelo passar do tempo, por ignorância, preconceito ou uma não identificação com seus ritmos e notas, muitos escondem o que talvez não tenham idéia do que sejam. Ou seja, filhos da mesma terra que um talento maravilhoso, ator, intérprete, coreógrafo, ídolo nacional, bom caráter, voz inconfundível e nascido nestas mesmas paisagens que ainda hoje encantam visitantes e filhos; tanto os ausentes como os presentes nesta Bela Vista.
Nos últimos dias, os principais meios de comunicação do país deram destaques e longos espaços as comemorações dos 70 anos de Ney Matogrosso. E eu como um fã e um admirador deste patrício, também me senti no direito de explicitar aqui neste espaço todo o orgulho que tenho por ser da mesma fronteira de um artista do tamanho de Ney, e ser filho da mesma Princesa.

Comemorar os 70 anos de Ney Matogrosso, o mais famoso dos bela-vistenses, é uma oportunidade para recordarmos e reconhecermos a grandeza desta pequena cidade sul-mato-grossense. Ressaltarmos o brilho desse cantinho de país, que também é responsável por Elenilson Silva; que deu ao país Ueze Zarhan, e amamentou em seus seios um menino chamado Aires Gonçalves. Uma mãe orgulhosa também de um campeão de rodeios chamado Eder Arce, o ‘Pelé da Botina’ e tantos outros…outros e…outros esquecidos neste momento.

E ao citar esses poucos que muito já fizeram na missão de elevar o nome de Bela Vista, quero aproveitar para homenagear a todos os bela-vistenses, conhecidos ou não, das mais variadas profissões, espalhados pelo quatro cantos do mundo e que de alguma forma contribuíram e contribuem com a nossa Princesa do Apa, para que ela, mesmo má administrada e sem muita sorte na política, continue encantadora e de pessoas encantadas.

E eu, outro bela-vistense apaixonado por essa bondosa Princesa, venho tendo provas, demonstrações e comprovando a grandiosidade numérica e sentimental dos meus irmãos destas terras ‘ney-matogrossenses’. Desde o último mês de julho, quando comecei a escrever alguns artigos aqui neste espaço e até com certa periodicidade, o retorno vem sendo surpreendente. Diariamente recebo mensagens de algum bela-vistense, de algum lugar do mundo, querendo simplesmente falar de Bela Vista. Ou melhor, dialogar o melhor idioma de todos os existentes: conversarmos em belavistês!!!!

Abraços a todos e saudações bela-vistenses!!!! (Texto publicado originalmente em 18 de agosto de 2011)

Posts Relacionados

Facebook Comments