MS ganha Laboratório de Tecnologia Contra Lavagem de Dinheiro

Mato Grosso do Sul integra oficialmente a partir de hoje (25) a “Rede Lab”, do Ministério da Justiça, através do Laboratório de Tecnologia Contra Lavagem de Dinheiro, o LAB-LD, da Polícia Civil, inaugurado na manhã desta terça-feira, no Parque dos Poderes em Campo Grande.

       O laboratório trazido para o Estado pela Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (Enccla), através da Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), possui alta tecnologia, opera de forma técnica e científica e tem como alvo organizações criminosas.

       De acordo com o secretário de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso do Sul, Wantuir Jacini, o Laboratório subsidiará demandas de alta complexidade, contendo volume e massa de dados significativos para análise, originários de quebras de sigilo fiscal, bancário, telefônico e contábil. “Além disso, a unidade produz conhecimento, e, por vezes, provas que vão subsidiar o inquérito policial”, explica o secretário.

       

Através das investigações que já estão sendo feitas pelo laboratório no Estado será possível demonstrar de maneira clara e sucinta o trajeto que o dinheiro subtraído, ou obtido por meios ilícitos fez até ser legalizado.

      “Como sabemos, as organizações criminosas desde há muito tempo vêm aprimorando e inovando em meios que lhes permitam o branqueamento de capitais, advindos do lucro ilícito de suas atividades criminosas. Com o laboratório teremos provas materiais concretas para demonstrar isso”, enfatiza o delegado-geral da Polícia Civil, Jorge Razanauskas Neto.

     

      Roberto Zaina, coordenador da Rede Nacional de Laboratórios do Ministério da Justiça, esteve presente na inauguração do LAB-LD/PCMS e ressaltou que a unidade inaugurada hoje na Capital tornará a Polícia Civil mais efetiva no combate às fraudes em licitações, desvio de verba pública, “crimes do colarinho branco” e crimes ligados à corrupção e lavagem do dinheiro dela resultante.

     “Com esse laboratório é possível levantar todo o patrimônio ilícito decorrente do tráfico de drogas, de crimes tributários e financeiros contra a administração pública e o mais importante, o dinheiro poderá retornar aos cofres públicos”, destacou Zaina.

      Sobre a Rede Lab

      A Rede, criada em 2006 por iniciativa da Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (Enccla), é coordenada pelo Ministério da Justiça por intermédio do Departamento Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional (DRCI), vinculado à Secretaria Nacional de Justiça.

      O Ministério da Justiça é o responsável pela entrega dos equipamentos (softwares e hardwares), treinamento de pessoal no manuseio das ferramentas tecnológicas e capacitação em técnicas de análise.

      Este é o 33º laboratório a ser inaugurado no país. Até o mês de abril outros 10 devem ser implantados, e até o final de 2014 será um total de 43 laboratórios espalhados por todas as unidades da Federação. Em algumas unidades, há mais de um laboratório, como é o caso do Distrito Federal, com cinco, e São Paulo, com quatro.