Inea investiga origem de mancha que causou interdição de praia em Búzios

Equipes do Inea (Instituto Estadual do Ambiente) e da Secretaria de Meio Ambiente estão investigando a origem de uma mancha que apareceu na Praia da Tartaruga em Armação dos Búzios, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro. O local foi interditado na manhã desta sexta-feira (21) depois que cerca de 60 banhistas deram entrada no hospital da cidade com sintomas de intoxicação após contato com a água do mar.

Técnicos encontraram uma mancha de tom amarelo e coletaram amostras (Foto: Ronald Pantoja / Prefeitura de Búzios)Técnicos coletaram amostras da mancha amarela
 (Foto: Ronald Pantoja / Ascom Búzios)

Segundo Túlio Wagner, superintendente regional do Inea, amostras da água da Praia da Tartaruga foram recolhidas na manhã desta sexta-feira para investigar o que seria a mancha de cerca de 70m de largura e 250m de extensão.

”Vamos ficar monitorando a mancha até que ela desapareça. A previsão é que o resultado dos laudos das amostras recolhidas fiquem prontos na próxima segunda-feira (24). Estamos investigando de onde saiu esse possível produto químico para poder tomar as medidas necessárias”, disse o superintendente.

Suspeita é que seja produto químico de transatlântico
O secretáiro de Meio Ambiente da cidade, Carlos Muniz, disse que a suspeita é que a mancha seja de um produto químico chamado organoclorado. ”Pelas características da mancha e consequências que ela causou, estamos suspeitando que seja um produto químico utilizado em banheiros químicos. Esse produto deve ser de algum navio que passou ou está na nossa cidade”, relatou o secretário.

Segundo a assessoria de Armação dos Búzios, três transatlânticos ainda estão no balneário. Cerca de 400 turistas canadenses, americanos e alemães estão chegando à cidade nesta sexta-feira. Todos serão orientados sobre o problema na Praia da Tartaruga e acompanhados por guias em visitação à cidade.

Mais de 60 pessoas passaram mal 
Desde a última segunda-feira (20), turistas e moradores que tomaram banho na Praia da Tartaruga ou frequentaram o local sentiram irritação nas vias respiratórias, nos olhos e ficaram com enjoo. 

Rivaldo Ramos Martins, turista do Rio Grande do Sul, foi uma das primeiras pessoas que procurou o hospital da cidade relatando sentir forte dor nos olhos. Ele está de férias no balneário com a família há dez dias e procurou a unidade de saúde depois que mergulhou na praia. A assessoria da prefeitura de Búzios divulgou na tarde desta sexta-feira (21) que a maioria dos pacientes já foram liberados, mas não soube informar o número de pessoas que continuam em observação na unidade.

Prefeitura interdita praia da Tarturuga e orienta banhistas (Foto: Ronald Pantoja / Prefeitura de Búzios)Prefeitura interdita praia da Tarturuga e orienta banhistas (Foto: Ronald Pantoja / Prefeitura de Búzios)
Mancha registrada na praia da Ferradurinha, no íltimo domingo (23) em Búzios, RJ (foto 2) (Foto: Romulo de Souza Mendonça)Mancha foi registrada por internauta na praia da
Ferradurinha (Foto: Patricia Pardo/Aquivo pessoal)

Internauta registrou mancha
Moradores de Búzios perceberam uma mancha alaranjada em várias praias do balneário no último domingo (23). Na Praia da Ferradurinha, a internauta e moradora da cidade Patrícia Pardo registrou a mancha logo pela manhã de domingo, quando fazia sua caminhada e enviou fotos pelo VC no G1. Ela mergulhou na praia da Ferradurinha e teve problemas de ardência nos olhos durante toda a semana, mas ainda não foi ao hospital.

Na Praia da Ferradura, o comerciante Marcelo Luis Freitas, 43 anos, de Petrópolis, que estava hospedado em casa de amigos, também viu a mancha e impediu que seus filhos entrassem na água. “Achei muito estranha a cor da mancha. Choveu na região na segunda-feira e o mar não estava muito bom mesmo, mas aquela cor me chamou a atenção. Ninguém da minha família entrou na água”, comentou.

O fato de a mancha alaranjada ter aparecido em algumas praias do balneário, e não somente na Praia da Tartaruga, reforça a possibilidade de o material ter sido despejado no mar por um navio. Neste período, Armação dos Búzios faz parte da rota da maioria dos navios estrangeiros que chegam ao país.