Fazendeiro retira gado de áreas ocupadas por índios kadiwéu em MS

O proprietário de duas fazendas ocupadas por cerca de 120 índios kadiwéu desde quarta (21), na região de Nabileque, em Corumbá, a 444 km de Campo Grande, retirou cerca de 800 bovinos das áreas. Cada propriedade tem pouco mais de cinco mil hectares. O advogado do dono das fazendas, Carlos Fernando de Souza, deve recorrer nesta quinta-feira (22) à Justiça com pedido de reintegração de posse.

saiba mais

Índios kadiwéu ocupam fazenda em Mato Grosso do Sul, diz advogado

‘Apontamos solução’, diz Cardozo sobre conflito agrário em MS

MS não vai bancar deságio de TDAs, diz governador ao ministro da Justiça

Ministro se reúne com governador de MS após anúncio de compra de terras

‘Não via o momento de chegar’, diz índio ferido ao voltar para aldeia

União promete comprar terras para resolver conflitos indígenas em MS

Segundo Souza, os indígenas chegaram ao local armados e montados em cavalos. Houve tiroteio durante a ocupação, ainda conforme o advogado. Os guardas atiraram para cima para tentar dispersar os kadiwéu, sem sucesso. Os indígenas, segundo Souza, também atiraram. A área estaria sendo reivindicada pelos índios desde 1987

A Fundação Nacional do Índio (Funai) confirmou a ocupação, mas diz não ter conhecimento sobre as agressões. O G1 entrou em contato com a assessoria do órgão, mas não teve retorno até a publicação desta reportagem.

A ocupação das fazendas e o pedido de reintegração de posse quebra a trégua proposta pelo governo federal, que estuda medidas para resolver a disputa por terras em Mato Grosso do Sul. Na próxima terça-feira (27), uma reunião em Brasília entre índios e produtores discute novas saídas para resolver o impasse no estado.

 

g1 Ms