Estado analisa restringir  rotas de fuga de pedágios

Estado analisa restringir rotas de fuga de pedágios

Equipes do governo do Estado analisam medidas para evitar que motoristas evitem pedágios na BR-163 a partir de rodovias estaduais. O trabalho de análise vai incluir, principalmente, trechos que caminhões podem utilizar para evitar o pagamento.

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) confirmou que as chamadas “rotas de fuga” estão sendo analisadas. A instalação de balanças deve ser uma das medidas que podem ser implantadas para monitorar os caminhões.

O excesso de peso também cria um problema porque veículos muito pesados exigem mais do asfalto e com o tempo as rodovias ficam com depressões e outras imperfeições.

“O excesso de peso destrói as rodovias. Nossos técnicos estão discutindo medidas (para evitar essas situações)”, comentou o governador durante agenda pública realizada hoje em Campo Grande.

Como os preços nas praças de pedágio na BR-163 em Mato Grosso do Sul sofrerão reajuste a partir de quinta-feira (14), há uma previsão que motoristas prefiram passar por “desvios” por meio de rotas alternativas.

A única rodovia federal no Estado privatizada tem nove pedágios e com os novos valores, quem passar por toda a via vai pagar R$ 59,20, aumento de 6,8%. A atual tarifa fica em R$ 55,40.

Com as mudanças nos preços, os aumentos aos veículos da categoria 1 (automóvel, caminhonete e furgão) são de:

R$ 4,60 para R$ 5 na praça de pedágio de Mundo Novo;

de R$ 6,50 para R$ 6,90 em Itaquiraí/Naviraí;

de R$ 6,50 para R$ 7 em Caarapó;

de R$ 6,60 para R$ 7 em Rio Brilhante;

de R$ 7,40 para R$ 7,80 em Campo Grande;

de R$ 5,60 para R$ 6 na praça de Bandeirantes/Rochedo/Jaguari;

de 5,50 para R$ 5,90 em São Gabriel do Oeste/Camapuã;

de R$ 7,30 para R$ 7,80 em Rio Verde de Mato Grosso; e

de R$ 5,40 para R$ 5,80 na praça de Pedro Gomes/Sonora.

 

RODOLFO CÉSAR E TAINÁ JARA

Posts Relacionados

Facebook Comments