Enem 2013 terá 7,1 milhões de candidatos, diz Mercadante

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, anunciou nesta sexta-feira (7) que a edição de 2013 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que será realizada em outubro, terá 7.173.574 participantes. O número de inscritos para a prova deste ano superou o recorde anterior, de 2012, que era de 5.971.290 candidatos.

No total, informou o titular da Educação, 92% dos estudantes pré-inscritos confirmaram a inscrição, seja por meio da isenção ou do pagamento da taxa de R$ 35. As provas serão aplicadas nos dias 26 e 27 de outubro.

“É uma grande vitória do Brasil mais de 7 milhões de pessoas quererem fazer o Enem. O povo brasileiro quer estudar mais. Isso é muito bom, porque só assim que vamos ficar um país desenvolvido”, enalteceu Mercadante.

O ministro não soube informar qual será o custo por aluno para aplicação do Enem 2013, mas garantiu que deve ficar em torno do valor gasto no ano passado, que foi R$ 47 por estudante.

Com o aumento expressivo da demanda, o ministro da Educação enfatizou que o governo terá de rever o planejamento logístico para a aplicação da prova. Segundo ele, terão de ser contratados mais professores para a correção das redações, fiscais de sala e coordenadores. Além disso, o ministério terá de arregimentar um efetivo maior de policiais e militares para atuar no esquema de segurança do teste.

Mesmo com o número recorde de candidatos, Mercadante assegurou que a pasta está tomando as medidas necessárias para evitar fraudes ou problemas de correção das provas.

“Somos hoje muito rigorosos com o planejamento. Imprimimos a prova como se estivéssemos imprindo na Casa da Moeda, com o mesmo padrão de vigilância, fiscalização e controle eletrônico. Temos na distribuição das provas a participação dos batalhões das polícias militar, civil e federal. O Exército trabalho junto com a gente”, destacou.

A princípio, 7.834.024 pessoas haviam solicitado inscrição no exame. Os pagantes totalizaram 1.925.581 e os isentos 5.247.993. Os que não estão em nenhum dos dois grupos, ou seja, o equivalente a 660.450 pessoas, tiveram a inscrição cancelada e não farão as provas.

Entre os candidatos que vão poder fazer o Enem de graça, 1.311.506 receberam a isenção automática porque estão matriculados em escolas públicas cadastradas no Censo Escolar. A maioria dos isentos, porém, é os que receberam o benefício do governo por ter renda familiar de até 1,5 salário-mínimo. Esse número chegou a 3.932.487, segundo o Inep.

Balanço
Ao divulgar o resultado dos incritos no Enem, o ministro da Educação apresentou uma série de dados estatísticos sobre o teste. De acordo com Mercadante, a unidade da federação que teve o maior número proporcional de inscritos a cada 1 mil habitantes foi o Acre. O estado do norte do país registrou 58.364 inscritos, que, comparados com a sua população, equivalem a 79,6 participantes a cada mil habitantes.

O segundo estado no ranking de candidatos pela população é o Amapá. Lá, a relação de inscritos por mil habitantes ficou em 62,6 pessoas. No outro extremo da lista ficou Santa Catarina. O estado da região sul do país registrou 127.842 inscrições, que equivalem a 20,5 candidatos a cada mil habitantes.

O Ministério da Educação também divulgou as estatísticas de inscritos por idade. Os dados oficiais mostram que a faixa etária que mais se inscreveu no exame é a dos candidatos com 17 anos. Conforme o MEC, 1.048.396 estudantes com essa idade irão participar da avaliação nacional. Já outros 901.639 candidatos com 18 anos irão se submeter ao Enem.

Na avaliação de Mercadante, esses números revelam que parte significativa dos estudantes que estão concluindo o ensino médio estão realizando o teste.

“Quando fazemos a distribuição por faixa etária, percebemos que a grande concentração dos inscritos tem entre 16 e 20 anos. Eles representam em torno de 54% dos candidatos. Os concluintes do ensino médio são a grande massa do Enem hoje, o que é muito positivo. É exatamente o que a gente espera”, avaliou.

Vaga na universidade
Criado em 1998, o Enem tem suas notas usadas no processo seletivo do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para vagas em universidades e institutos federais. O exame já tinha sido adotado em sua totalidade por várias universidades de destaque como a UFRJ e UFF, e nesta edição substituirá os vestibulares da UFMG, UnB, UFJF, Ufes e UFRN, entre outras.

  •  

CRONOGRAMA DO ENEM 2013

Data das
provas

26/10 (13h – 17h30):
– ciências humanas
– ciências da natureza                      
27/10 (13h – 18h30):
– linguagens
– matemática
– redação

Divulgação do gabarito

Até dia 30/10
 

Resultado individual

Data a ser divulgada

Fonte: Inep

O Enem também é usado para o candidato pedir bolsa de estudos pelo Programa Universidade para Todos (Prouni), solicitar benefícios do Programa de Financiamento Estudantil (Fies), e obter certificado de conclusão do ensino médio. Também será usado nos programas de bolsa de estudos (Prouni) e de financiamento estudantil (Fies), entre outros programas do Ministério da Educação, como o Ciência sem Fronteiras.

ÁREAS DO CONHECIMENTO

Ciências humanas e suas tecnologias: história, geografia, filosofia e sociologia

Ciências da natureza e suas tecnologias: química, física e biologia

Linguagens, códigos e suas tecnologias e redação: língua portuguesa, literatura, língua estrangeira (inglês ou espanhol), artes, educação física e tecnologias da informação e comunicação

Matemática e suas tecnologias: matemática

As provas
O Enem será realizado nos dias 26 e 27 de outubro. O exame tem quatro provas objetivas, cada uma com 45 questões de múltipla escolha e uma redação. As provas vão tratar de quatro áreas de conhecimento do ensino médio (veja ao lado).

Para a realização, das provas o candidato deverá usar somente caneta esferográfica com tinta preta e feita com material transparente.

As provas terão início às 13h e os portões serão abertos às 12h (sempre no horário de Brasília). No dia 26 de outubro, os candidatos farão as provas de ciências humanas e suas tecnologias e de ciências da natureza e suas tecnologias, até as 17h30. No dia 27 de outubro serão realizadas as provas de linguagens, códigos e suas tecnologias, redação e matemática e suas tecnologias, que terminarão às 18h30. O candidato só pode entregar o gabarito e deixar a sala após duas horas de prova. Para levar o caderno de questões, é necessário esperar na sala até que faltem 30 minutos para o fim da prova.

O Inep recomenda que os candidatos cheguem ao local de prova ao meio-dia (horário de Brasília). É obrigatória a apresentação de documento de identificação original com foto para a realização das provas. Quem não tiver o documento deverá apresentar boletim de ocorrência emitido no máximo 90 dias antes da data da prova e se submeter a uma identificação especial e preenchimento de formulário próprio.

Conferência dos dados
Antes de iniciar as provas, de acordo com o edital, o candidato deverá verificar se o seu caderno de questões contém a quantidade de questões indicadas no seu cartão-resposta e contém qualquer defeito gráfico que impossibilite a resposta às questões. O estudante deverá ler e conferir todas as informações registradas no caderno de questões, no cartão-resposta, na folha de redação, na lista de presença e demais documentos do exame.

Se notar alguma coisa errada, o candidato deverá imediatamente comunicar ao aplicador de sua sala para que ele tome as providências cabíveis no momento da aplicação da prova.

Segundo o edital, a capa do caderno de questões possui informações sobre a cor do mesmo e uma frase em destaque, e caberá obrigatoriamente ao candidato marcar nos cartões-resposta, a opção correspondente à cor da capa do caderno de questões; transcrever nos cartões-resposta a frase apresentada na capa de seu caderno de questões. As respostas das provas objetivas e o texto da redação só deverão ser transcritos, com caneta esferográfica de tinta preta fabricada em material transparente, nos respectivos cartões-resposta e folha de redação, que deverão ser entregues ao aplicador ao terminar o exame.

O que não pode
O edital proíbe ao candidato, sob pena de eliminação, falar com outros candidatos, usar lápis, lapiseira, borracha, livros, manuais, impressos, anotações, óculos escuros, calculadora, agendas eletrônicas, celulares, smartphones, tablets, ipod, gravadores, pen drive, mp3 ou similar, relógio ou qualquer receptor ou transmissor de dados e mensagens.

O edital afirma que é obrigação do candidato “guardar, ao ingressar em sala de provas, em embalagem porta-objetos fornecida pelo aplicador, telefone celular desligado, quaisquer outros equipamentos eletrônicos desligados e outros pertences listados anteriormente, sob pena de eliminação do exame”. No último Enem, dezenas de candidatos foram eliminados depois que tiraram fotos com celular do cartão de respostas, antes do início da prova, e as postaram em redes sociais.

Todos os pertences que não sejam a caneta preta de material transparente e o documento de identificação deverão ser guardados em um porta-objetos com lacre, que deverá ficar embaixo da carteira do candidato e só poderá ser reaberto após a saída dele da sala de prova.

VEJA AS COMPETÊNCIAS DA REDAÇÃO

Competência I: Demonstrar domínio da norma padrão da língua escrita

Competência II: Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Competência III: Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Competência IV: Demonstrar conhecimento dos mecanismos lingüísticos necessários para a construção da argumentação.

Competência V: Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Fonte: Inep

A redação
O sistema de correção do Enem ficou ainda mais rígido em 2013. A partir deste ano, três mudanças devem garantir uma correção mais rigorosa: a proibição do deboche, a exigência do domínio da norma culta para receber a nota máxima e a redução da discrepância máxima nas notas dos dois corretores para que a redação seja encaminhada por uma terceira avaliação independente.

Além de alterar as regras para anulação da redação parar incluir as tentativas de deboche, classificadas como tendo “parte do trecho deliberadamente desconectada com o tema proposto”, o MEC agora vai exigir uma justificativa dos corretores para aceitar que uma redação contendo erro de português receba a nota máxima. O ministério ainda diminuiu a discrepância máxima aceita entre os dois corretores.

A nota final corresponde à média aritmética simples das notas atribuídas pelos dois corretores. Caso haja discrepância de 100 pontos ou mais na nota final atribuída pelos corretores (em uma escala de 0 a 1.000), ou de 80 pontos ou mais em pelo menos uma das competências, a redação passará por um terceiro corretor, em um mecanismo que o Inep chama de “recurso de ofício”.

Se a discrepância persistir, uma banca certificadora composta por três avaliadores examinará a prova. Os candidatos poderão solicitar vistas da correção, porém não poderão pedir a revisão da nota.

Além das provas com deboche, será atribuída nota zero à redação: que não atender a proposta solicitada ou que possua outra estrutura textual que não seja a do tipo dissertativo-argumentativo; sem texto escrito na folha de redação, que será considerada “em branco”; com até sete linhas, qualquer que seja o conteúdo, que configurará “texto insuficiente”; linhas com cópia dos textos motivadores apresentados no caderno de questões serão desconsideradas para efeito de correção e de contagem do mínimo de linhas; com impropérios, desenhos e outras formas propositais de anulação, que será considerada “anulada”.

Os resultados
Os gabaritos das provas objetivas serão divulgados no site http://www.inep.gov.br/enem até o terceiro dia útil após as provas, ou seja, até 30 de outubro. Os candidatos poderão acessar os resultados individuais do Enem 2013 em data que ainda será divulgada, mediante inserção do número de inscrição e senha ou CPF e senha no endereço eletrônicohttp://sistemasenem2.inep.gov.br/.

O Inep diz que a utilização dos resultados individuais do Enem para fins de certificação, seleção, classificação ou premiação não é de responsabilidade do órgão, mas das entidades às quais os dados serão informados pelo candidato.

O Inep não fornecerá atestados, certificados ou certidões relativas à classificação ou nota dos candidatos. De acordo com a portaria publicada no “Diário Oficial”, a inscrição do participante implica a aceitação das disposições, diretrizes e procedimentos para a edição do Enem contidas no edital. Para os adultos submetidos a penas privativas de liberdade e adolescentes sob medidas socioeducativas, que incluam privação de liberdade, haverá um edital para o processo de inscrição específico.

 

G1