Em Brasília, prefeitos pressionam governo federal por mais recursos

Willams Araújo
 
Pelo menos 40 prefeitos de Mato Grosso do Sul desembarcaram em Brasília nesta terça-feira para participar da  XVI Marcha em Defesa dos Municípios, promovido pela CNM (Confederação Nacional de Municípios). 
 
O evento vai até quinta-feira (11), devendo reunir em torno de 4 mil gestores públicos de todo o País, conforme a entidade.
 
O tema da Marcha a Brasília deste ano é “o desequilíbrio federativo e a crise nos municípios”.
 
O presidente da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), Douglas Figueiredo (PSDB), considera importante a participação dos prefeitos no evento municipalista como instrumento de pressão visando sensibilizar os parlamentares em torno da aprovação de propostas de interesse dos municípios. 
 
Para o presidente Douglas, a Marcha representa hoje o fórum ideal em torno de conquistas de pontos prioritários à administração pública municipal.
 
Ao motivar os prefeitos para o ato municipalista, o dirigente assinala que é importante buscar o debate com parlamentes e com as autoridades do governo central.
 
“Foi por meio do movimento que os prefeitos conseguiram uma série de avanços para os municípios ao longo de anos”, destaca Douglas, que organiza a caravana de prefeitos do Estado rumo a mais uma Marcha a Brasília. 
 
 A Assomasul é uma das entidades municipalistas do País mais assíduas nos movimentos promovidos pela CNM, que incluem além da Marcha a Brasília, outros eventos e manifestações em defesa dos interesses dos municípios. 
 
Entre as conquistas obtidas por meio das Marchas, Douglas cita o adicional de 1% no FPM (Fundo de Participação dos Municípios), que é repassado em dezembro, e o decreto presidencial que trata da compensação financeira entre RGPS (Regime Geral de Previdência Social) e os RPPS (Regimes Próprios de Previdência Social) dos servidores da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios.
 
EXPECTATIVA
 
A maior expectativa dos prefeitos, segundo o presidente da Assomasul, é quanto a participação da presidente Dilma Rousseff no evento.
 
No domingo (7), segundo a Agência Brasil, a presidente discutiu com assessores a sua participação na marcha dos prefeitos, que está programada para esta terça-feira na Capital Federal. 
 
Dilma ainda não confirmou sua presença no encontro, mas, segundo colaboradores, a tendência é que participe do ato. As ações na área da saúde deverão ser o centro da exposição da presidente. 
 
Sua avaliação, segundo assessores, é que os anúncios na área de saúde dão motivo para que esteja no encontro. 
 
Além da promessa de acelerar a liberação de R$ 7 bilhões para o setor, Dilma pretende detalhar o lançamento do edital para a fixação de 10 mil médicos, brasileiros e estrangeiros, nas cidades do interior do país. 
 
Dilma pediu à sua equipe um levantamento das reivindicações apresentadas pela Confederação Nacional dos Municípios e do que poderá ser atendido pelo governo. 
 
Num momento de contenção de despesas, está descartada a possibilidade de ampliação de recursos e da participação dos municípios no bolo tributário.