CPI da saúde em MS realizou na quinta (25) oitava na cidade de Aquidauana

A Comissão Parlamentar de Inquérito da Assembleia Legislativa que investiga possíveis irregularidades nos repasses do SUS (Sistema Único de Saúde) para 11 municípios de Mato Grosso do Sul estará na próxima quinta-feira (11) na cidade de Aquidauana. A oitiva vai acontecer a partir das 14 horas na Câmara Municipal.

Na ocasião, os deputados vão ouvir a diretora da Associação Aquidauanense de Assistência Hospitalar Dr. Estácio Muniz, Irene Franco Ferreira, o ex-presidente do Conselho Municipal de Saúde, Florêncio Garcia Escobar, o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Francisco Tavares da Câmara, o ex-secretário Municipal de Saúde, Francisco Roberto Rossi, e a Secretária Municipal de Saúde, Ângela Maria Lelis Spada.

A CPI da Saúde em MS já colheu depoimentos da ex-secretária estadual de Saúde, Beatriz Dobashi, do secretário municipal de Saúde de Campo Grande, Ivandro Fonseca, do presidente da Santa Casa da Capital, Wilson Teslenco, dos ex-diretores do Hospital Universitário, José Carlos Dorsa, e do Hospital Regional de Campo Grande, Ronaldo Perches Queiroz, além de gestores e conselheiros municipais de saúde nas cidades de Coxim e Dourados.

CPI da Saúde

Os parlamentares querem saber como estão sendo feitos os repasses dos recursos do SUS para unidades hospitalares de Campo Grande, Corumbá, Paranaíba, Dourados, Três Lagoas, Jardim, Coxim, Aquidauana, Nova Andradina, Ponta Porã e Naviraí. A investigação apura os repasses e convênios feitos nesses 11 municípios nos últimos cinco anos. A CPI tem 120 dias para apurar as possíveis irregularidades, podendo ser prorrogada por mais dois meses.

Para ajudar no trabalho de investigação, os deputados decidiram criar o e-mail [email protected] para que as pessoas possam denunciar irregularidades nas unidades hospitalares. Também foi criada a fan page CPI da Saúde em MS para que a população possa acompanhar o trabalho da Comissão Parlamentar de Inquérito.

A CPI é composta pelos deputados Amarildo Cruz – presidente, Lauro Davi (PSB) – vice-presidente, Junior Mochi (PMDB) – relator, Mauricio Picarelli (PMDB) – vice-relator e Onevan de Matos (PSDB) – membro.