Com estreias mirins, matinê prova que Carnaval de rua também é para crianças

Com estreias mirins, matinê prova que Carnaval de rua também é para crianças

A segunda-feira foi a vez do bloco de rua Capivara Blasé fazer o Carnaval na Esplanada Ferroviária. É o sexto anos de folia que traz em sua tradição uma matinê cheia de surpresas para a família. Com marchinha e muita espuma para a criançada, o que não faltou foram estreantes mirins no Carnaval de rua.

E são pequenos de todas as idades mesmo, talvez o mais novo entre eles tenha sido o João Pedro, que aos 3 meses de vida foi curtir a folia fantasiado de super-herói com a mãe e advogada Irene Coutinho de Lima. “Eu gosto muito de Carnaval. Comprei a fantasia para que ele viesse com a super-mamãe e apenas mandei fazer a capinha”, conta.

ssim como Irene, muitos pais chegaram cedo à Esplanada. A matinê teve início às 14h e fez a meninada pular de alegria em uma área reservada com grades na frente do trio elétrico. Os pais Benhur Salamene, de 35, e Ana Maria Paiva, de 25, dizem não curtir muito o Carnaval, mas fizeram questão de mostrar a folia que tem ganhado espaço no coração do campo-grandense nos últimos anos. “A gente trouxe mais para ele conhecer a cultura mesmo da cidade, eu acho importante”, diz a mãe. A filha Ana Letícia tem 2 aninhos e aguentou brincar com os pais cerca de 40 minutos. “Em seguida ela começou a chorar e se incomodar com o barulho, mas não tem problema, nós vamos embora porque a festa é pra ela, então tem que ser no tempo dela”, completa o pai.

A caminho da animação Jonathan de 9 anos era um dos mais animados ao lado da mãe. “Finalmente vou curtir um Carnaval de criança”, dizia ao se referir à matinê. “Ele foi quem me pediu para vir, antes achava ele muito pequeno e acabávamos não vindo, mas chegou a hora dele conhecer o Carnaval”, diz a mãe Alda Oliveira, de 37 anos.

O pequeno Rafael tem apenas 5 meses e não perdeu um minuto da animação ao lado do irmão e da mãe Priscila Roni, de 37 anos. “Também é a primeira vez dele, eu adoro bloco de rua e me senti segura em trazer as crianças. Acho que é um bom momento pra gente se divertir com as crias”.

Luna, de dois anos, estava com a família toda vestida de rosa e com óculos escuro escolhido por ela. Puro estilo a criança também não abriu mão do tereré e se encantou adultos que passavam por perto.

Quem também deu um show de fofura foram as irmãs Cecília, de 7 anos, e Livia, de 4 anos, que estiveram na folia ao lado da tia e do pai vestidas de sereias. “Olha minha calda”, disse Cecília orgulhosa da fantasia.

Estrear com os filhos é também chance de curtir o Carnaval diz Carla Deluque, de 28 anos. “Amamos o Carnaval, mas com as crianças não tem coragem de vir sozinha. E não queria ficar sem a folia deste ano, então resolvi trazê-los”, diz ao lado dos filhos.

Depois de duas horas de marchinhas, confetes e serpentinas, boa parte das crianças saíram ao lado do estandarte do bloco fazendo o desfile. Depois, a organização manteve o pedido para que quem fosse continuar com as crianças permanecesse na frente do trio por uma questão de segurança.

Cuidado especial – Neste ano, além de pintura e espaço para as mães amamentarem, o apoio veio da Cruz Vermelha que registrou através de um aplicativo a entrada de crianças na Esplanada.

Os pais precisam levar a criança na barraca disponível no local. Uma pulseira é colocada na criança com nome do responsável e telefone. No aplicativo será cadastrado o nome do responsável, dois telefones, foto da criança e também do responsável.

Em caso de desaparecimento da criança, a orientação é de que os pais vão até a equipe da Cruz Vermelha no local para fazer a busca. No caso de a criança procurar ajuda, o telefone dos pais estará na pulseira dela. Somente nesta segunda-feira, 166 crianças foram registradas no aplicativo.

E para quem perdeu a folia, hoje, a festa continua com o encerramento do Carnaval de rua na Esplanada Ferroviária, das 14h às 22h, com o tradicional Cordão Valu.

Fonte – campograndenews

Posts Relacionados

Facebook Comments