Bombeiros alertam sobre os riscos de incêndios em vegetação

O 6º Sub-Grupamento de Bombeiros (6ºSGB), com sede em Naviraí e responsável por todo o conesul do Estado de Mato Grosso do Sul, alerta os empresários rurais e proprietários de terrenos baldios sobre os riscos de incêndios em vegetação, em decorrência das condições climáticas e características atuais da vegetação estarem favoráveis ao surgimento deste tipo de emergência ambiental.

 

Segundo o Major QOBM Waldemir Moreira Júnior, comandante do 6ºSGB, a geada registrada no final do mês de julho afetou toda a região, causando ressecamento da vegetação, tanto na área urbana quanto na área rural e, aliado às atuais condições climáticas normalmente registradas nesta época do ano, como: temperatura mais elevadas, ventos moderados ou altos, umidade relativa do ar e da própria vegetação mais baixa, criam uma condição ideal para o surgimento de incêndios florestais.

 

Os Bombeiros alertam a população do Conesul para não atearem fogo em terrenos baldios, não queimarem lixo, folhas secas, galhos, entre outros, e nem colocarem fogo em áreas de pastagem para limpeza, pois, além de ser um crime ambiental, poderá colocar em risco as residências e propriedades vizinhas e/ou piorar ainda mais as condições climáticas, pois as partículas e gases provenientes do fogo afetam diretamente o ar que respiramos, causando uma maior vulnerabilidade da população para doenças respiratórias principalmente em idosos, crianças e pacientes em recuperação.

 

Para quem mora ao lado de terrenos baldios a recomendação é fazer uma limpeza em uma faixa da vegetação acompanhando o muro de sua casa. Esta técnica é chamada de aceiro de prevenção e consiste na remoção total da vegetação nesta faixa em uma largura mínima de 1,50m ou uma vez e meio a altura da vegetação próxima. O aceiro de prevenção é o meio mais eficiente, pois removemos totalmente o combustível cercando sua propriedade e caso alguém venha a atear fogo naquele área você já protegeu sua casa de um incêndio.

 

A mesma recomendação vale para proprietários e empresários rurais. Façam um aceiro na divisa de sua propriedade e também em torno das edificações que você pretende proteger do fogo, podem usar trator com grade para tal aceiro, recomenda o Major Moreira que é especialista e perito no assunto.

 

Sabemos que a maioria dos incêndios são de originados pela ação do homem, embora as pessoas insistam em dizer que viram um raio caindo lá naquela direção. Porém, seja uma prática agropastoril, queimadas sem autorização, queima de lixo (folhas, galhos, mato etc.), renovação de pastagens, limpeza de terreno baldio, fogueiras de pescadores ou ação humana intencional mesmo, todos os incêndios são considerados crimes ambientais e a pessoa que atear fogo ou o proprietário que não cumprir com o código de postura do município e insistir em deixar seu terreno sujo, poderá ser responsabilizado pelos danos, consequências e prejuízos.