Bebê de 3 meses morre em UPA com suspeita de gripe

Bebê de 3 meses morre em UPA com suspeita de gripe

Um bebê de três meses morreu na tarde da última segunda-feira (23) na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Coronel Antonino, em Campo Grande. A causa da morte será investigada, mas uma das hipóteses é que o menino tenha morrido em decorrência de uma gripe, pois apresentava sintomas da doença.

Após a morte da criança, a família teria reclamado da demora no atendimento e a situação já chegou até ao Conselho Municipal de Saúde. A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) confirmou ao Jornal Midiamax que o bebê chegou à unidade de atendimento com sintomas de gripe, mas, negou negligência médica e garantiu que todos os procedimentos necessários foram realizados para salvar a criança.

A Sesau informou, por meio de nota, que os familiares da criança relataram à equipe médica que fez o atendimento, que ela apresentava sintomas há quatro dias. Dizem, ainda, que o bebê não tinha registro de atendimento em unidade básica de saúde de acompanhamento após o nascimento ou ainda administração de vacinas.

Durante agenda pública nesta terça-feira (24), o prefeito de Campo Grande, Marcos Trad (PSD) comentou a morte do bebê. “É um caso que a gente lamenta profundamente e nós temos que apurar com muita cautela, com muito cuidado, para não expor médicos, enfermeiros e funcionários públicos, e muito menos de contradizer os pais dessa criança. Há uma análise responsável que exige muita cautela e muita prudência. Deve-se dar uma resposta aos pais dessa criança”, disse Trad.

Confira a nota da Sesau na íntegra
“De acordo com a Sesau, os familiares da criança relataram a equipe médica que fez o atendimento, que a mesma já apresentava sintomas há 4 dias, mas somente na segunda-feira (23) é que buscaram atendimento.

Também não consta no histórico do prontuário do paciente nenhum outro atendimento em unidade básica de saúde de acompanhamento após o nascimento ou ainda administração de vacinas.

No primeiro atendimento na UPA Coronel Antonino, nessa segunda-feira (23), foram realizamos exames para verificar o estado de saúde e o paciente recebeu medicação, permaneceu em observação na unidade, onde a assistência médica necessária foi oferecida conforme os registros no prontuário, além de monitorado periódico. Portanto, não houve negligência ou demora no atendimento da criança.

Após a parada cardiorrespiratória foram realizados os procedimentos de reanimação por 50 minutos, porém sem sucesso. Foi coletado material biológico para verificar as causas da morte do paciente. A Sesau aguarda resultado para proceder com a investigação”.

Mortes
Até o momento, a SES (Secretaria Estadual de Saúde) já confirmou a morte de duas pessoas por influenza (vírus H3N2), em Mato Grosso do Sul. As mortes ocorreram em Campo Grande: uma mulher de 58 anos e um homem de 44. Os dados são do boletim epidemiológico com informações até o dia 18 de abril.

Neste levantamento ainda não constam outras duas mortes: uma em Naviraí e outra em Aquidauana. Os dados atualizados devem ser divulgados pela SES nesta semana.

A primeira morte foi a advogada Mônica Reis, 30 anos, na última quinta-feira (19), no Hospital Municipal de Naviraí – cidade a 358 quilômetros de Campo Grande. A segunda, o trabalhador rural Jânio Vieira, 48 anos, morreu no Hospital Regional Doutor Estácio Muniz, em Aquidauana – a 143 quilômetros da Capital (23).

Colaborou: Richelieu Pereira

Posts Relacionados

Facebook Comments