Avião da Esquadrilha da Fumaça cai e mata dois pilotos

Acidente aconteceu na manhã desta segunda-feira (12) próximo à pista.

Piloto e copiloto morreram no local. FAB vai investigar causas da queda, destacou o Clube de Imprensa.

 
Do G1 São Carlos e Araraquara
 

 

Um avião da Academia da Força Aérea (AFA) caiu, na manhã desta segunda-feira (12), próximo à pista em Pirassununga(SP). O piloto e o copiloto que estavam na aeronave da Esquadrilha da Fumaça, um Super Tucano A-29, morreram na hora. A Força Aérea Brasileira (FAB) disse que já iniciou as investigações para apurar os fatores que causaram a queda.
O acidente ocorreu durante uma missão de treinamento, por volta das 9h. Segundo a FAB, os dois ocupantes da aeronave, capitão aviador João Igor Silva Pivovar e capitão aviador Fabricio Carvalho, chegaram a realizar a ejeção, mas morreram no local.
O A-29 é usado em patrulhamento nas fronteiras do Brasil. O Super Tucano tem praticamente o dobro do peso do T-27 e quase o dobro de potência. A velocidade máxima também aumentou de 550 quilômetros por hora para 690 quilômetros por hora.
 (Foto: Editoria de Arte/G1)
No domingo (11), durante a homenagem ao Dia dos Pais na cidade, a Esquadrilha da Fumaça nem chegou a fazer manobrasporque os pilotos ainda estão em treinamento com o novo modelo (A-29) que substituiu os antigos Tucanos T-27.
Além da equipe de pilotos, mecânicos e demais membros do Esquadrão de Demonstração Aérea  (EDA) também estão em fase de preparação para a transição que está prevista para terminar somente no ano que vem.
O último acidente com a Esquadrilha da Fumaça foi em abril de 2010 quando um avião caiu durante uma exibição em Lages (SC). Na ocasião, o piloto de 33 anos também morreu. Durante uma manobra, feita em comemoração aos 68 anos do Aeroclube de Lages, a aeronave T-27 bateu no solo. O avião caiu na beira da pista do Aeroporto Federal da cidade, bem perto das pessoas e de residências.
Histórico
Em maio a esquadrilha completou 62 anos. A história começou no Rio de Janeiro. Instrutores de voo da escola de aeronáutica decidiram treinar acrobacias em grupo nas horas de folga. A primeira exibição para o público foi em 14 de maio de 1952. Três anos mais tarde, a Esquadrilha  ganhou os próprios aviões.
O modelo escolhido foi o norte-americano T6. A esquadrilha foi reconhecida como unidade da FAB em 1963. Treze anos depois foi desativada e só voltou em 1983. Em seguida recebeu o Tucano T-27, fabricado no país, e em 2002, a troca de cores deixou os tucanos ainda mais brasileiros.